24 de março de 2010

BARRAGENS EM TERRENO SÍSMICO

Estão a avolumar-se as críticas à construção das barragens previstas para o rio Tâmega. Em Vidago, um especialista em geomorfologia alertou para a possibilidade de as albufeiras poderem ter efeitos sísmicos.
De acordo com Manuel Queiroz, o Estudo de Impacto Ambiental (EIA) das barragens, não teve em conta o facto de o rio correr numa zona de "falha sismotectónica". "Não está ponderado no EIA o peso dos milhares de hectolitros de água que vão ficar numa zona de fragilidade", referiu o especialista, para concluir: "Sabe-se, por experiência, que o peso da água num subsolo fragilizado é indutor de sismos. Já aconteceu na China, na Índia e EUA".
O especialista criticou também o facto de a empresa responsável pelo EIA, a Procesl, admitir a construção de barragens no rio, quando, em 2001, no âmbito da elaboração do Plano de Bacia Hidrográfica do Rio Douro defendeu que o Tâmega era um ecossistema a "recuperar e preservar".


Reflexão: Novamente aqui está um caso que demonstra a importância do estudo dos locais de construção, neste caso de barragens. Após a análise, qualquer decisão que se tome deve ter em conta os riscos que a construção poderá trazer. Trazendo um pouco de provérbios ao assunto: Cada coisa no seu devido lugar.
Fonte: http://jn.sapo.pt/paginainicial/interior.aspx?content_id=1514961

Sem comentários:

Publicar um comentário