18 de abril de 2010

Primeiros nascimentos no Centro Nacional de Reprodução do Lince-ibérico (CNRLI)


nascimento de duas crias de lince-ibérico marca a primeira reprodução no CENTRO NACIONAL DE REPRODUÇÃO DO LINCE-IBÉRICO (CNRLI), cinco meses depois da chegada de Azahar a este centro especialmente criado para o efeito, em Silves.
Estes são os primeiros linces nascidos em cativeiro, em Portugal. Resultantes do cruzamento da fêmea Azahar com o macho Drago nasceram a 4 de Abril no Centro Nacional de Reprodução do Lince-ibérico.
As duas crias são robustas e mostram-se bastante activas. A fêmea Azahar exibe os instintos maternais adequados, mantendo-se em permanência junto às crias e prestando todos os cuidados maternais com dedicação e tranquilidade.



Azahar, uma fêmea de cinco anos de idade, foi o primeiro lince a chegar a Portugal, a 26 de Outubro de 2009, e nunca tinha sido mãe, apesar de tentativas anteriores para a cruzar, que não tiveram resultados positivos.
Drago chegou a 17 de Novembro, proveniente do Centro de Cria La Olivilla, onde nasceu em 2007. La Olivilla é um dos três centros, na Andaluzia espanhola, que integram o programa de conservação ex-situ de lince-ibérico.
Os partos decorreram de forma normal, coincidindo com o período de partos de linces nos outros centros de reprodução, localizados em Espanha. Com os dois partos de ontem, nesta temporada contabiliza-se, até ao momento, o nascimento de seis linces nos centros de reprodução ibéricos. Os outros quatro nasceram à dias em La Olivilla.
O Centro Nacional de Reprodução do Lince-ibérico, localizado em Silves e inaugurado em Maio de 2009, é gerido pelo Instituto da Conservação da Natureza e da Biodiversidade. A construção do centro foi da responsabilidade das Águas do Algarve, S.A., resultando de uma medida de sobre-compensação pela construção da Barragem de Odelouca.
O nascimento destes dois linces em Portugal contribui para o programa ibérico Ex-situ de reprodução em cativeiro de linces, que tem por objectivo criar condições para a libertação de linces na Natureza, constituindo um dos pilares dos planos de acção português e espanhol, para a conservação do Lince-ibérico.


Reflexão: Qual o futuro do lince-ibérico em Portugal? A incerteza paira sobre quais os habitats considerados viáveis para receber, em território português, um dos felinos mais ameaçados do mundo. Os cientistas alertam para a falta de alimento e para os impactos do aquecimento global na vegetação mediterrânica.

Sem comentários:

Publicar um comentário