4 de junho de 2010

Petroleiro no Golfo do México

Imagen de muestra

Cientistas afirmaram que o vazamento de petróleo do Golfo do México já derramou mais óleo que o desastre do navio petroleiro Exxon Valdez, em 1989 – talvez três vezes e meia a mais. Isso faz com que o vazamento do Golfo seja o pior da história dos Estados Unidos por grande margem.




A directora do Centro de Pesquisa Geológica dos Estados Unidos, Marcia McNutt, disse nesta quinta que, numa primeira estimativa do governo, os números do vazamento variam de 500 mil a um milhão de galões por dia (um galão tem 3,78 litros). A empresa British Petroleum (BP) e a Guarda Costeira americana haviam estimado o fluxo em cerca de 210 mil galões por dia.





A nova estimativa do governo significa que ao menos 19 milhões de galões vazaram nas últimas cinco semanas, desde a explosão na plataforma de petróleo em 20 de abril. Autoridades admitem que o número pode chegar a até 39 milhões de galões.





A BP afirmou que ainda trabalha para conter o vazamento. No entanto, a Guarda Costeira americana informou na manhã desta quinta que ele já foi contido. 





Exxon Valdez


Em 24 de março de 1989, a embarcação naufragou no Estreito de Prince William, no Alasca, Estados Unidos, e causou derramamento de 11 milhões de galões de petróleo cru, matou número incontável de animais e manchou a imagem da empresa dona do petroleiro, a Exxon.





No entanto, quem liderou os esforços de contenção do vazamento nos momentos críticos após o naufrágio não foi a Exxon, mas a BP, que agora luta para conter o derramamento no Golfo.





A BP possuía participação em um consórcio que explorava petróleo no Alasca e uma das suas obrigações era a de fazer o planeamento para limpar um possível vazamento e responder ao desastre.


Fonte: http://www.abril.com.br/noticias/mundo/vazamento-petroleo-golfo-mexico-tres-vezes-maior-desastre-valdez-564008.shtml


Reflexão: Aqui temos mais um exemplo de como, muitas vezes, a extracção do petróleo é feita de uma forma errada... estão a tentar fazer os possíveis para terminar com esta tragédia, mas será que conseguirão? 

Sem comentários:

Publicar um comentário