4 de junho de 2010

Vulcão na Islândia

A erupção na geleira Eyjafjallajokull lançou na atmosfera uma coluna de cinzas com até 6 quilômetros de altura e, após 40 horas de atividade, o vulcão não dá sinais de adormecer. Ele fica localizado embaixo da quinta maior geleira islandesa e já teve cinco erupções desde que se assentou no subterrâneo, no século 9.

A geleira tem uma cratera vulcânica de 2,5 quilômetros de diâmetro, coberta de gelo. Fissuras permitem que haja fluxos de lava nos flancos leste e oeste desse chamado estratovulcão, que é formado por camadas alternadas de cinzas, lava e pedras ejetadas por erupções anteriores.


Quando o vulcão entrou em erupção, no final de março, ele abriu uma fissura de 500 metros, produzindo fontes de lava ao longo da rachadura.

A nuvem de cinza provocada pela erupção do vulcão na Islândia, pode causar ainda mais problemas ao planeta. Segundo Umberto Cordani, professor do Departamento de Geologia do Instituto de Geociências da USP, a cortina de fumaça pode diminuir a temperatura da Terra. Apesar disso, o geólogo destaca que esse resfriamento deve ser pouco significativo e de curta duração.


Vídeo: 


Fonte: http://g1.globo.com/ciencia-e-saude/noticia/2010/04/erupcao-de-vulcao-na-islandia-nao-dara-tregua-ao-aquecimento-global.html

Reflexão: Como podemos ver a força da natureza está acima de tudo e de todos e pode ser muito devastadora.

Sem comentários:

Publicar um comentário